quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Crítica: As Aventuras de Pi


As Aventuras de Pi (Life of Pi, 2012) é um filme baseado no livro A Vida de Pi (também encontrado no Brasil com o título As Aventuras de Pi). O livro era , supostamente, impossivel de adaptar as telonas. Não li o livro então não posso tecer comparações entre a obra original e o filme, mas, certamente, o diretor Ang Lee fez um filme excelente.
O filme conta a história de Piscine Molitor Patel, um jovem indiano que acredita em 3 religiões diferentes e cujo apelido é Pi. Depois que os negócios de seu pai vão mal na Índia, a família de Pi (ele, os pais e o irmão) acaba tendo que mudar de seu país natal para o Canadá. Entretanto no meio dessa viagem pelo Pacifico, o navio em que estão naufraga num terrível acidente. Pi perde toda sua família e acaba ficando num barco com um tigre-de-bengala, uma hiena, um orangotango e uma zebra.
O que torna esse filme uma viagem maravilhosa para quem o assiste é misturar um ótimo roteiro com visuais de tirar o fôlego. A cena do naufrágio é de uma qualidade técnica impressionante. E o mar retratado é lindíssimo, como na cena em que mar e céu se tornam um só e quanto a água está fluorescente. Tudo é belíssimo e a equipe de efeitos especiais conseguiu a excelência (o tigre, por exemplo, parece real em todo o filme). Esta qualidade técnica toda só é ressaltada pelo 3D em todas as cenas. As Aventuras de Pi é um dos filmes de 2012 que mais vale a pena ser assistido em 3D. As atuações também são muito boas e o final (propositalmente um pouco ambíguo) é ótimo.
Pi é um filme brilhante. Além das obvias indicações nas categorias técnicas que o filme levará no Oscar, fica a torcida para que ele concorra também na merecidíssima categoria de Melhor Filme .

Nenhum comentário:

Postar um comentário