domingo, 15 de abril de 2012

Crítica: Titanic



Titanic (1997) é o meu filme favorito e por isso já topei me emocionar com o filme exatas 20 vezes, sendo a vigésima está sexta-feira, 13, em que o filme reestreou no Brasil em 3D, no ano em que o naufrágio completa 100 anos e o filme original completa 15. É incrível como esse filme. dirigido por James Cameron, consegue mexer com os sentimentos de todos que o assistem. A história do amor proibido de Jack (jovem aventureiro pobre, interpretado por Leonardo DiCaprio) e Rose (menina rica infeliz com sua vida, interpretada por Kate Winslet) indo contra a família e o noivo dela em meio a fatídica viagem inaugural do Titanic em 1912.
O filme se divide em duas partes: a de antes do Titanic colidir com o iceberg (que já é cheia de problemas para os protagonistas) e a de depois da colisão (em que os problemas são multiplicados por mil). Na primeira parte somos introduzidos a Gloria Stuart (perfeita) como a Rose velhinha que conta os fatos da tragédia. Assim começa o flashback que dura quase todas as 3:20 hrs de filme. Podemos perceber como o amor de Jack e Rose vai aumentando conforme o passar do filme. Leonardo DiCaprio cumpre muito bem o seu papel e Kate Winslet, que mesmo tendo se saído ótima nos testes ainda teve que insistir muito para ganhar o papel, está excelente. É excepcional que com apenas 21 anos que tinha na época já conseguia encarar um papel tão intenso com tanta perfeição. Ainda ótimas temos Frances Fisher como a mãe da Rose e Kathy Bates como a "inafundavél" Molly Brown. É interessante como na parte final do final do filme não nos emocionamos somente com Rose e Jack mas também com os atores coadjuvantes e seus temas como o pai se despedindo da esposa e das filhas, ou da mãe que conta uma história para que as crianças durmam, já que não conseguirão se salvar. Vemos também que o dinheiro e poder foi um fator determinante para aqueles que se salvaram. E temos o triste final, que muitos não gostam, mas convenhamos que talvez o momento mais emocionante do filme seja quando Rose solta a mão de Jack. Não é preciso falar dos efeitos especiais que são fantásticos: você realmente acha que aquele é o naufrágio real do Titanic gravado. A trilha sonora também é fantástica e cada vez que alguma música instrumental toca, as emoções só se intensificam. A versão de "My Heart Will Go On" cantada por Céline Dion nos créditos do filmes, apesar de já ter sido repetida a exaustão é excelente. E ver este filme no cinema e ainda com um ótimo 3D faz com que você fique mais próximo do Titanic. No final, recomendo este épico maravilhoso ganhador de 11 Oscars a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário